Cinco perguntas a fazer antes Participar de um Conselho

Sala de Reunião

Sala de Reunião

Como informou, recentemente, Richard Magrann-Wells, blogueiro do WillisWire, estamos em um momento de ansiedade para os diretores, especialmente no setor de serviços financeiros.

O escândalo envolvendo a suposta manipulação da London Interbank Offered Rate (Libor) – taxa de referência diária, calculada com base nas taxas de juros oferecidas para grandes empréstimos entre os bancos internacionais que operam no mercado de Londres, muito utilizada como taxa referencial nas transações internacionais – pode levar a bilhões de dólares em multas e acordos, tempo de prisão para alguns, custos mais elevados de financiamento a nível mundial e, sem dúvida, aumento da análise regulamentar.

Sem mencionar o impacto do escândalo sobre o risco de responsabilidade financeira subscrito, que é pouco provável que seja positivo. Mas isso é outro assunto.

Responsabilidade Executiva

Libor é apenas uma das últimas questões susceptíveis a fazer alguns diretores suarem frio. Atualmente, existe uma série de outros riscos que uma diretoria pode enfrentar. Contra um cenário de quase inigualável instabilidade financeira, crises corporativas, crescente regulamentação e ressentimento público sobre o poder exercido pelos executivos que, raramente, tem diretores de grandes empresas sendo o objeto de maior cuidado.

Contate a nossa equipe FINEX para uma cópia de nossa edição 2012/2013 do Guia Willis de Risco Executivo: Para Conselho Administrativo.

De fato, o aumento da fiscalização dos acionistas e mídia, combinada com a volatilidade da economia global, significa que pertencer a um Conselho Administrativo de uma empresa nunca foi tão arriscado, segundo a última edição do Guia Willis de Risco Executivo: Para Conselho Administrativo.

Ainda mais preocupante, a expansão do universo on-line introduziu novos riscos financeiros que não podem ser cobertos pelo seguro de responsabilidade civil e profissional, incluindo políticas padrão de Diretores e Administradores (D&O).

Mark Wakefield, Diretor Executivo da FINEX Global da Willis, Risco Financeiro, Responsabilidade Profissional, e colaborador do Guia, explica:

Os riscos e os dilemas colocados por graves violações de dados são aplicáveis a diretores das empresas. Tribunais, em geral, tendem ter a visão de que, diretores têm a obrigação de obter uma compreensão suficiente da natureza dos riscos que afetam suas empresas, incluindo os riscos cibernéticos. A ignorância ainda não é defesa.

Cinco perguntas a se fazer

Considerando que, como diretor, seus bens pessoais podem estar em jogo, você pode querer perguntar a si mesmo algumas questões antes de decidir participar do conselho de uma empresa.

Todas essas questões são explicadas com mais detalhes no Guia Willis de Risco Executivo: Para Conselho Administrativo (que está disponível por Mark Wakefield em FINEX). Aqui está uma amostra:

1. A empresa tem problemas financeiros?

Parece óbvio, mas empresas em dificuldades colocam desafios às áreas jurídicas, financeiras e contábeis. Se você não é um especialista na transformação de empresas em falência, pergunte-se se este é o lugar certo para você.

2. Eu entendo como a empresa opera?

Você deve ter uma compreensão detalhada sobre como uma empresa é dirigida e sua estratégia de negócios, antes de entrar em seu conselho.

3. A diretoria da empresa atraiu litígios ou investigações recentemente?

Se sim, você deve conhecer a natureza dessas questões e saber se a empresa tinha qualquer seguro para se defender contra tais alegações. Também vale a pena considerar que riscos de litígios podem aparecer no futuro.

4. Quais são as perspectivas da empresa?

A previsão de crescimento é difícil e incerta, mas você deve considerar a força do modelo de negócios da empresa.

5. Qual é a gestão de crescimento da empresa?

Esta é uma das questões mais importantes a ser considerada, antes de decidir participar de um Conselho Administrativo. Você pode receber dicas sobre o assunto em conversas diretas com atuais diretores. Você deve descobrir qual a cultura deste Conselho. São incentivadas discussões importantes? Divergências de opinião são complicadas?


Este post foi postado em inglês no dia 14 Agosto 2012

About Nathan Hambrook-Skinner

Nathan Hambrook-Skinner is Director of Communications, GB, for Willis Towers Watson. Nathan has recently published …
Categories: Português, Risco Executivo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *