Será que sua política de D&O “Walk the WALC”?

Walking the WALC

Muito (talvez até demais) tem sido dito e escrito sobre a natureza e o alcance do seguro de D&O – pelo menos, não por mim.

A realidade, no entanto, é que poucos diretores (a menos que tenham sido azarados o suficiente para experimentar uma reivindicação) estão interessados em saber muito mais sobre as coberturas e o quanto estão “cobertos”.

Para os curiosos ou intrépidos o suficiente para querer saber mais, não há um processo fácil para assimilar o conhecimento com que se conduz uma comparação útil e o exercício de contraste entre as várias possíveis políticas, surpreendentemente diferentes, disponíveis no mercado.

Este é um assunto sobre o qual já escrevi antes e que, sem dúvida, irei retomar. Parece-me que até os usuários finais (diretores e proprietários) tem um interesse mais ativo na qualidade e amplitude das coberturas, bem como no tamanho das indenizações e custo. É improvável que os discursos irão corresponder suas necessidades no mundo real tanto quanto deveriam.

Você pode estar se perguntando por que eu, deliberadamente, errei a grafia da palavra “WALC” no título deste post. Um dos problemas do seguro de D&O é que as terminologias tornaram-se demasiadamente longas e complicadas ao longo dos anos. O Dicionário de D&O da Willis é a nossa tentativa de desmistificar este tipo de seguro.

“Eu li no FT”

Você precisa ter tempo e tentar analisar a amplitude da cobertura disponível em produtos concorrentes no mercado de D&O. Mesmo assim, às vezes pode ser um desafio concentrar-se no que realmente importa. Esta dificuldade é talvez melhor ilustrada pelo “eu li no FT”, uma abordagem de seguro de D & O.

Homicídio corporativo, suborno e extradição, são exemplos deste fenômeno em que, devido a um desejo compreensível de demonstrar cobertura nestas áreas chave, endossos específicos agora aparecem geralmente nas políticas de D&O.

Paradoxalmente, endossos deste tipo podem simplesmente adicionar ao comprimento, complexidade e jargão associado ao produto.

Como você provavelmente já adivinhou até agora, WALC é um acrônimo. Soletra-se

  • Wrongfull act (ato ilícito)
  • Loss (perda)
  • Claim (sinistro)

A maioria das políticas de D&O incorporará esses termos-chave definidos nas cláusulas de seguro. Infelizmente, muitas vezes não há semelhanças. As definições diferem-se amplamente, pois geralmente cruzam conexões com endossos adicionais ou desenvolvimentos para cobrir, bem como aos termos e condições gerais, que podem ser, e muitas vezes são, de importância fundamental na determinação de problemas de limites de cobertura.

Em uma tentativa de desbloquear parte dessa complexidade, me propus a seguir uma lista de pontos que você pode facilmente riscar fora da lista de definições, assim que eles aparecem em sua política.

Ato Ilícito (Wrongful Act)

• A sua definição de ato ilícito é estabelecido em uma longa lista e aparentemente exaustiva de coberturas por erros e omissões, ou seja, “… declaração enganosa, distorções, garantia de autoridade, etc?” Se for assim, a lista é realmente exaustivamente? Se não, quais são as “lacunas”?

• A lista contêm uma mistura de erros específicos ou violações do dever, como aqueles listados acima em geral, tais como erros e omissões? Poderá isto conduzir a incerteza quanto à abrangência da definição?

• A cobertura é limitada “unicamente” à sua capacidade como diretor ou representante legal? Se sim, isso se adapta a sua realidade?

Perda (Loss)

• Qual é a sua definição de “perda”? Alguns estendem-a a mais de uma página. Esta extensão e complexidade é, necessariamente, voltada para o seu benefício e vantagem?

• Mais especificamente, a linguagem contém adicionais, exclusões, porta de trás introduzidas como: “perdas não incluem…”?

• Se a definição estende coberturas para itens específicos, há o risco de outras exposições mais gerais de um tipo semelhante de perda, que não sejam expressamente referenciadas, não serem cobertas? Uma área fértil para fazer esta pergunta sobre cobertura é em relação a multas e penalidades.

Sinistro (Claim)

• Que “Reclamações” eles estão falando? Muitas vezes, as políticas não são apresentadas de forma clara e consistente em relação à distinção entre as queixas contra o Segurado e reivindicações feitas no âmbito da apólice.

• A definição de reivindicação estende-se a reclamações feitas por qualquer pessoa, incluindo os segurados ou é restrito somente a “terceiros”?

• A definição de reivindicação estende as investigações? Se for assim, é suficientemente claro que nenhum ato ilícito identificável é necessário no momento em que a investigação é iniciada? Se não, isto é suficientemente claro sobre o que aciona para  cobertura com relação a o que realmente são as investigações?

• Quão cedo é feito um pedido de sinistro? Um pedido escrito é suficiente? Quem precisa receber? Esta é a linguagem correta no contexto de um processo de regulamentação ou criminal?

• Existem restrições sobre o motivo do sinistro? Ou seja, trata-se apenas de um determinado tipo de sinistro que está coberto ou todos os sinistros estão incluídos?

Para a abordagem DARCstar para o teste WALC clique aqui.

About Francis Kean

Francis is an Executive Director in Willis Towers Watson's FINEX Global, where he specializes in insurance for Dir…
Categories: Português, Risco Executivo, Seguro de D&O

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *