Nova legislação chega para coibir roubos e furtos envolvendo veículos

 Os números surpreendem: segundo as estatísticas de 2013 da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP), dois veículos são recuperados a cada cinco roubados ou furtados, o que representa apenas 40% do total. O índice de roubos e furtos de veículos no ano passado foi o maior registrado desde 2005: 99.206, número equivalente a 11 crimes por hora, representando aumento de 14% em relação a 2012. As razões desse crescimento podem ser resumidas pelo aumento do índice de criminalidade na maioria das regiões metropolitanas do Brasil. Dados de 2013 da CNSeg registram média de 1256 veículos roubados por dia em cidades brasileiras, o que significa mais de 38 mil ocorrências deste tipo por mês.

A principal preocupação dos motoristas está relacionada ao excesso de violência dos criminosos. Já vimos relatos, em diversos canais de notícias, de proprietários que não se surpreendem mais com os roubos na região onde vivem, mas sim com a audácia dos criminosos.

Em meio à criação de aplicativos de busca de veículos roubados para auxiliar a polícia e o crescimento cada vez maior de automóveis blindados (445% em uma década e aumento de 15% no ultimo ano, de acordo com a Abrablin – Associação Brasileira de Blindados), algumas medidas estão sendo tomadas para tentar coibir o número de ocorrências relacionadas a roubos de veículos, como o desenvolvimento de um relatório analítico de gerenciamento de inteligência e a sanção da Lei do Desmanche, ambas feitas pela SSP. A Lei do Desmanche obriga as empresas que vendem peças usadas de veículos a realizarem o credenciamento no Detran e na Secretaria da Fazenda. Para facilitar o rastreamento, todas as peças dos carros devem ser identificadas e ter notas fiscais eletrônicas.

Esta nova lei é importante porque, se aplicada de fato, pode impactar diretamente nos seguros de automóveis, motos e outros veículos automotores. À medida que ocorrerem à redução dos índices de sinistralidade, as tarifas de seguros também sofrerão consequente redução. Outro fator que ajudaria a provocar essa queda de tarifas é a redução também dos mercados paralelos de venda, produção e distribuição de peças que fatalmente ocorrerá com a nova legislação.

  Soluções para seguros automotivos

As soluções ideais para o mercado automotivo são as relacionadas diretamente com a diversidade de serviços oferecidos aos clientes, ajustando-se ao perfil de cada um, gerando valor e satisfação para o consumidor e mais lucratividade para as empresas especializadas.

Para este segmento, os serviços devem englobar o relacionamento com os diversos setores, tais como as concessionárias e montadoras, além de tratar estrategicamente das características específicas de cada um dos tipos de veículos, sejam eles automóveis, motos e caminhões, incluindo peças e acessórios.  Hoje, a Lei de desmanche vigora apenas no estado de São Paulo, caso se torne federal, as seguradoras poderão buscar aprovação junto à Susep para oferecer novas modalidades de seguros, incluindo peças de reposição com certificado, diminuindo ainda mais o custo para veículos mais antigos.

O sucesso da aplicação da nova lei pode impactar positivamente em outros segmentos de seguros, como de acidentes pessoais, seguros vida e de saúde, já que o número de vítimas e, consequentemente, de indenizações também diminuirá.

 Os números Impressionam

Os números mais recentes divulgados pela Superintendência de Seguro Privados (SUSEP), relativos até novembro de 2013, indicam que as seguradoras faturaram R$ 26,090 bilhões com as vendas de seguro de carro, incluindo as coberturas de assistência e de responsabilidade civil facultativa. O montante representou quase 35% de toda receita captada pelo mercado no período, desconsiderando o seguro-saúde e o VGBL, tido com um plano de previdência complementar aberta. O seguro de automóvel cresceu 19,2%, um ponto percentual acima da expansão média do mercado, que foi de 18,2%.

 


Aline Souza

Aline Silva

Aline Silva é formada em Marketing e pós-graduada em Marketing e Planejamento Estratégico. Possui mais de 17 anos de experiência no mercado de seguros e atualmente é a gerente da área de Affinity Worksite da Willis Brasil. Entre suas experiências, já trabalhou para companhias de seguros internacionais tais como Mapfre, Brasilprev, HSBC e, por último, MDS Seguros, corretora de seguros do Grupo Sonae.

Categories: affinity, Português | Tags: , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *