Brasil: ameaças e oportunidades da evolução demográfica

A corrida para recrutar os melhores indivíduos do mundo da finança tornou-se uma guerra por talentos, de acordo com importantes acadêmicos. Mudanças dramáticas na demografia podem trazer transformações em países como os Estados Unidos, Japão e grande parte da Europa, interessados em atrair estudantes de finanças e economia para suas universidades e cursos de pós-graduação, e reter os serviços desses talentos. No entanto, esta dinâmica vai mudar.

As empresas internacionais que anteriormente contratavam em mercados emergentes, apenas para call centers e back-office, agora estão em busca de distribuição, gestão e capacidades produtivas de expandir para áreas com baixa penetração. Então, os talentos emigrantes vão começar a voltar para casa?

Expansão local

Com uma população de mais de 200 milhões de pessoas, o crescimento no Brasil é fácil de ser encontrado em várias formas, apesar de uma expansão econômica sem brilho. Segundo informações da CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), nos últimos dez anos, o setor financeiro tem proporcionado mais “emprego formal” do que em mineração e infraestrutura, normalmente vistos como indústrias-chave da América Latina.

O Brasil representa uma oportunidade complicada para os investidores: é a maior economia da América Latina, porém, encolheu no primeiro trimestre de 2015 devido à queda do consumo privado. No entanto, o Brasil conta com um setor financeiro robusto contra o estresse no mercado financeiro. Ainda não muito penetrados em vários setores, os investidores estrangeiros devem considerar regulamentos locais complexos e é provável que prefiram parceria ou comprar uma empresa local existente para iniciar o negócio.

A partir de 2025

O Brasil está tentando resolver o seu problema demográfico. O The World Factbook, produzido pela CIA dos EUA, estima que dentro de dez anos a questão da “estrutura etária favorável” começará a mudar. No entanto, os programas que visam apoiar os estudantes que querem estudar no exterior já estariam ajudando a incentivar os brasileiros a voltar ao seu país de origem para encontrar emprego full-time.

A presença nessas economias em crescimento é vista como vital pela maioria dos grupos financeiros com aspirações fora das fronteiras do seu país de origem. A competição por talentos está ficando mais acirrada do que nunca, no entanto, com empresas locais e indivíduos preparados, começam a ser vistas mais oportunidades para ter sucesso em seu campo escolhido muito mais perto de casa.

Para as empresas obterem sucesso neste ambiente de mudança, será necessário que os empregadores encontrem uma nova abordagem na guerra por talentos. Talvez seja necessária uma abordagem mais ampla para recrutamento, treinamento e retenção de talentos; deixando para trás um foco em indivíduos, na esperança de que isso crie uma cultura positiva da empresa.

 


 

Natalia Char Natalia Char é líder Regional de Instituições Financeiras para Indústria da América Latina na Willis. Em Bogotá, Natalia é responsável pelo desenvolvimento de clientes e instituições financeiras em toda a América Latina, abrangendo bancos, companhias de seguros, gestores de ativos, gestores de fundos, com um foco em grandes corporações.

Categories: Benefícios > Capital Humano & Benefícios, Português, Recursos Humanos | Tags: , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *