Férias ilimitadas: bom demais para ser verdade?

Tempo de folga ilimitado ou tirar férias sempre que quiser soa como uma grande ideia. Mas como isso impacta os empregados e seus empregadores?

A ideia tem ganhado adeptos entre empresas fora do país e é pensada para apenas alguns ramos de atividade. Lembre-se, ilimitada não significa sem limites ou não planejada. Confira!

Um Novo Tipo de Benefício

Empresas competem por talentos oferecendo benefícios, tempo de folga ilimitado e remunerado – indicando algo como: “Venha trabalhar para nós! Temos uma cultura de trabalho flexível! Nós o tratamos como adultos!” Isso definitivamente é diferente das tradicionais férias, licença, ou programas de folga remunerada em pool.

Para o empregador pode haver vantagens financeiras, se tratando, por exemplo, de despesas com as férias não tiradas dos funcionários. Analisando um programa tradicional, onde a responsabilidade financeira é significativa, levando em conta a cultura de hoje de estar “sempre conectado”, as pessoas acham que não tiram o tempo que precisam para recarregar as energias. Na verdade, quase 70% dos americanos não usam todas as férias que lhes são atribuídas, de acordo com o GDP Advisors.

Bom demais para ser verdade?

Apesar de todos esses benefícios, poucas empresas estão adotando o esquema de férias remuneradas ilimitadas. Uma pesquisa de 2014 da SHRM relata que apenas 1% das organizações está adotando o programa. Entre as que adotaram estão: Netflix, Virgin Group, Microsoft, Adobe, Deloitte, Evernote, Hubspot e, mais recentemente, General Electric e LinkedIn.

Alguns empregadores podem se perguntar se pagar por este tempo ilimitado é loucura ou bom demais para ser verdade. É natural supor que os funcionários vão abusar dessa oferta. No entanto, algumas empresas estão descobrindo que o oposto é verdadeiro. Os funcionários não estão usando mais tempo fora – alguns estão levando até mesmo menos dias. Na verdade, há dois anos, quando um CEO decidiu instituir um plano ilimitado de férias, ele ofereceu aos empregados US$ 1.000 para gastar em suas férias, desde que ficassem longe do escritório por pelo menos uma semana inteira.

Trabalho duro

Algumas organizações deixam claro que seu desempenho deve ser “muito bom” antes de pedir dias de folga, o que pode levar funcionários a se sentirem culpados para um tempo de folga.

A Tribune Publishing, empresa proprietária de jornais, reverteu sua decisão de aderir ao programa de folga ilimitada depois de uma semana e meia por motivo de confusão e preocupação por parte dos funcionários. Comunicar o seu plano de forma eficaz para que todos compreendam é essencial.

Não há número definido de dias ou horas de tempo longe do trabalho. Esta abordagem é coerente com a sua cultura empresarial, onde o foco é sobre o que é feito, não o tempo que levou para começar o trabalho feito. Os gerentes são incentivados a utilizar o seu poder de discernimento para quando permitir ou não um pedido deste.

Se você está pensando em implementar férias Ilimitadas remunerada:

Examine sua cultura para determinar se isso poderia funcionar e como os funcionários podem reagir – Férias Ilimitadas geralmente funcionam onde as expectativas de desempenho são claras e mensuráveis, onde a empresa abraça uma cultura de trabalho flexível (onde os empregados são responsáveis ​​/ maduros), e interações pessoais não são totalmente necessárias.

Determine se você vai controlar o tempo ou não e como – Alguns empregadores acham que eles não terão mais como controlar o tempo off. No entanto, acompanhar o período de folga é recomendado por várias razões. Certamente, é importante acompanhar evitando abusos da política.

Estabelecer políticas claras (leis, regulamentação) – Lembre-se, ilimitada não significa sem limites ou não planejada. Determine como você irá coordenar as solicitações dessas folgas durante os horários de pico de operação.

Tenha em mente que um programa de folga remunerada ilimitada não precisa aplicar-se a todos os funcionários. –  Pode não ser apropriado para segmentos da força de trabalho que se concentram em esforço (horas trabalhadas) versus eficácia ou resultados.

O tempo ilimitado pode ser um grande benefício para engajar talentos. Apenas certifique-se que é o ajuste certo para a sua organização.

 

Saiba mais aqui.


 

Davidson60x60Guest Blogger Debbi Davidson is a National Practice Leader for Willis Towers Watson’s HR consulting group, HR Partner in Atlanta. She provides consultation and guidance to clients in the areas of human resources strategy, total rewards, performance management, employment law compliance, human resource service delivery, training and development, and market/best practice research.

Categories: Benefícios > Capital Humano & Benefícios, Português, Recursos Humanos | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *