Competitividade ou satisfação dos funcionários? Alinhe a política de benefícios com seus objetivos

Ao pensar em benefícios para colaboradores de uma empresa é preciso se questionar: Quais são seus objetivos ao oferecer benefícios aos funcionários? Ser competitivo, atrair e reter talentos, ou investir em capital humano e melhorar a qualidade de vida da população.

É definindo claramente esses objetivos que cada empresa conseguirá construir uma política adequada de concessão dos benefícios, contemplando aqueles que são valorizados pelos funcionários, porém com critérios claros de acordo com as características e necessidades da companhia e perfil dos seus funcionários.

Em tempos de crise não é diferente; com base no peso que a empresa dá para cada um desses quesitos é que o redesenho de benefícios é feito. Entretanto, o equilíbrio entre esses aspectos e os custos a eles associados é um ponto crucial para a sustentabilidade do pacote de benefícios oferecido.

A oferta de benefícios representa um percentual significativo sobre a folha de pagamento das empresas, por isso, o momento político-econômico que o Brasil se encontra afeta diretamente a questão. Mas este não é o único desafio a ser enfrentado. Também interferem: os custos crescentes, principalmente dos planos de assistência médica, que representam o maior custo relacionado aos recursos humanos da empresa, após a folha de pagamento; processos operacionais e administrativos relacionados à gestão dos benefícios que geram sobrecarga de trabalho e, não raro, a necessidade de pessoal adicional gerando ônus financeiro; pouca flexibilidade dos fornecedores nas negociações de custos e serviços; ausência de políticas claras de concessão de benefícios, entre outros.

Neste cenário, uma consultoria especializada é fundamental na gestão dos benefícios, já que ela auxilia na revisão do pacote de benefícios oferecido, tornando-o mais competitivo e equiparado às práticas de mercado, na revisão e adequação da política de benefícios, na otimização de processos operacionais, além da gestão do risco, evitando custos desnecessários. Para apoiar estas ações, também é importante contar com a expertise de especialistas em comunicação para oferecer um suporte mais abrangente, principalmente na educação continuada no uso dos benefícios disponibilizados pela empresa, na orientação e prevenção de doenças e engajamento na participação de programas de promoção da saúde e qualidade de vida existentes.

O trabalho customizado é de grande relevância, pois não existe uma receita pronta. Cada empresa tem um DNA, com cenários e culturas diferentes. Por isso, é necessária uma análise detalhada da situação atual e o fornecimento de recomendações que reflitam suas necessidades.

As áreas de Recursos Humanos buscam um apoio que vai além da simples adequação dos benefícios. Em uma visão mais ampla, outras áreas da empresa devem participar e os processos de negociação com os fornecedores devem ser efetivos, resultando em satisfação dos funcionários e melhor custo-benefício para as organizações.

Lígia Schiano Parise: Divisional Director – Multinational Connection – H&B da Willis Towers Watson

Categories: Benefícios > Capital Humano & Benefícios, Português, Recursos Humanos, Saúde & Vida | Tags: , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *