África subsaariana: uma nova fronteira para seguradoras?

A África subsaariana é fascinante não apenas para turistas, ela começou a chamar a atenção por parte da indústria de seguros. Na verdade, muitas companhias de seguros multinacionais estão começando a olhar para esta parte do mundo tanto com interesse, quanto com cuidado.

A economia da África triplicou desde 2002 e, de acordo com o Fundo Monetário Internacional, 11 países africanos estarão entre os 20 países de crescimento mais rápidos em 2016. As tendências demográficas da região também são convincentes: a metade dos países da região é classificada como sendo de “renda média”, de acordo com o Banco Mundial, e a classe média africana tem o mesmo tamanho que a da Índia.

A África poderá transformar a revolução que viveu seu setor financeiro em uma revolução para as áreas de seguros?

O setor bancário Africano não só tem crescido constantemente nos últimos dez anos, mas também encontrou novas vias para alcançar as pessoas. A maneira com a qual a SSA tem aumentado a inclusão financeira tem sido criativa e muito diferente de outras regiões. Como isso vai se traduzir em oportunidades para a indústria de seguros?

Bem, em primeiro lugar, não existe uma única indústria de seguros africana: o continente é caracterizado por grande heterogeneidade. Mesmo dentro da SSA, os mercados de seguros são muito diferentes uns dos outros. O tipo de aplicação e suas características – desde os níveis de educação e alfabetismo financeiro, até os indicadores socioeconômicos e a capacidade de compreender produtos de seguros e necessidade – varia muito de um mercado para outro. Eles também diferem na estabilidade política e regulamentar desses países. Além disso, exceto na África do Sul, é muito difícil encontrar talentos adequados – praticamente não há atuários – e não é fácil encontrar dados históricos para avaliar os riscos. Bem, então você está se perguntando: “Por que o interesse da indústria de seguros na África, então”?

Aqui estão os motivos:

–           É um mercado de 1,1 bilhão de pessoas

–           Imensas expectativas de crescimento econômico e de suas classes médias

–           Tem alguns canais de distribuição baseados na tecnologia móvel, que provaram ser inovadores e eficientes para um mercado de terceiro mundo

–           Sua penetração de telefonia é de 65% – ou seja, 564 conexões!

–           E, obviamente, ele tem uma penetração de seguro muito baixa (3,5% na SSA e menos de 1 % excluindo a África do Sul).

africa-table

Qual a probabilidade da penetração e densidade de seguros mudarem na África Sub Saariana?

O fato de a África ter um baixo nível de penetração dos seguros é uma faca de dois gumes. Embora essas baixas taxas de penetração representem uma oportunidade para as seguradoras que procuram entrar nestes mercados, estas oportunidades só darão frutos se tiverem as condições econômicas para ambos – penetração e densidade – poderem crescer em médio e longo prazo.

Algumas destas condições passam pela conjuntura regulamentar e a estabilidade política, mas algumas das condições mais interessantes dependem da própria indústria de seguros. De fato, uma das razões pelas quais a penetração e densidade na região são baixas é o apetite das próprias seguradoras, ou melhor, a falta de apetite para cobrir determinados riscos na região, assim como os segmentos da população que procuram e os produtos que oferecem. A maioria das seguradoras na SSA está concentrada no mercado de seguros de grupo e no percentual de 5% mais alto dos nichos socioeconômicos da população. Mesmo na África do Sul, um dos países com maior penetração de seguros em todo o mundo, a maioria dos produtos de seguros é projetada para a classe média alta.

Isso começou a mudar com várias seguradoras tentando desenvolver produtos de microsseguros para o mercado da base da pirâmide. Essas empresas também estabeleceram acordos estratégicos com varejistas de produtos de consumo e empresas de telecomunicações para conseguir e atingir os clientes mais jovens e os segmentos da população mais necessitados, através de produtos mais simples e mais baratos. Parece que a demanda por tais produtos e as taxas de adesão tem sido elevadas. A tecnologia móvel tem ajudado algumas dessas seguradoras a penetrar nichos de mercado de baixa renda, até agora, com o uso de sistemas de seguros informais como Stokvel e tontines.

Terra prometida e de oportunidades? Somente para aqueles dispostos a superar desafios pouco comuns

As cinco principais seguradoras na África do Sul iniciaram uma estratégia Pan-Africana e a maior delas estima que vai investir cerca de 500 milhões de dólares norte-americanos na região antes de 2020. Algumas seguradoras japonesas e chinesas também começaram a olhar para a região com interesse, e a multinacional de telecomunicações da Índia, Bharti Airtel, se animou a entrar no mercado de microsseguros junto a um parceiro da África do Sul. Todas essas empresas estão desenhando e implementando estratégias multidimensionais e Pan-Africanas a fim de superarem os desafios da região, através de parceiros adequados, canais de distribuição versáteis e flexíveis, e produtos mais simples.

Como eu disse antes, a África é a nova fronteira, mas não é para todos. Na verdade, apenas é rentável para os investidores pacientes e inovadores. A verdadeira questão antes de tentar entrar no mercado africano é: você está apostando em longo prazo ou será que seus empreendimentos comerciais na África seriam hobby? Se o último for o caso, você deveria reconsiderar a sua decisão.


 

Magdalena RamadaGuest blogger Magdalena Ramada, PhD, is a Senior Economist at Willis Towers Watson’s Research and Innovation Center with over 15 years of experience in R&D and international consulting. Magda holds a PhD in Quantitative Economics and Finance and was the firm’s Head of Research and Analytical Services. She currently focuses on strategic consulting for the insurance industry, especially around emerging markets and insurance technology.

Categories: Análises, Controle de Risco, Outros, Português | Tags: , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *